Fugimos para uma cidade que achamos bonita.Viana do Castelo.
Não é só pelo rio ou pelas praias à volta. Tem muito para ver e fazer.
A vigiar temos sempre a Santa Luzia e a sua bela catedral. A paisagem é de cortar a respiração. Rio, serra, natureza, mar e monumento. Tudo no mesmo local.
Fomos passear à tarde pelo centro e como manda a tradição, tivemos de nos render à famosa bola do Natário. Massa fofa no interior, ligeiramente estaladiça do exterior.
Creme divinal com um ligeiro toque de canela. Vinha morna e a vontade era de comer outra. Conseguimos nos controlar.
Guardamos a barriga para mais tarde. Exploramos a ruas interiores da cidade.
Havia um festival de folclore com um grupo local famoso e outros vindos de outros cantos da Galicia. Os trajes e danças típicas cativam o olhar de cada um. As gaitas de foles bem sincronizadas convidavam a ficar. Nós ficamos um pouco até irmos explorar o resto deste centro. Queríamos visitar o museu do traje mas já não conseguimos.
Aproveitamos para passear pelas ruas. Todas muito bem cuidadas e conseguem manter a magia e tradição. Lojas com fachadas originais e com os seus logotipos originais. Lettering como já não se costuma ver.
Azulejos estão por todo o lado e bem bonitos. No meio disto tudo, uma pequena loja que nos chamou atenção. Aliás muito pois entramos e ficamos durante algum tempo.
Objetos misturados. Está descrita como loja de brinquedos e galeria. Chamar-lhe-íamos antes uma loja de bom gosto. Isto não se compra (o bom gosto), mas é possível que qualquer coisa que aqui comprasse ia realmente dizer que tem bom gosto. Desde os livros infantis, aos brinquedos, às ilustrações e serigrafias era tudo muito bonito. Tivemos que dar os parabéns e vamos acompanhar e voltar.
Continuamos e fomos procurar onde comer. Uns amigos tinham sugerido a Casa Primavera. Também conhecida como a Tasca do Tone Bento ou do Tone Soares, foi onde nós fomos.
Não conseguimos mesa imediata e esperamos um pouco. Partilhamos a mesa com um casal da Figueira da Foz. Por nós não teve problema e até foi bastante engraçado. Ficamos a conhecer um pouco deste casal. A família, o que os levava até lá e do que gostavam na cidade. Nós pedimos uns mexilhões e gambas na frigideira. Parece que acertamos em cheio. Tivemos que repetir as gambas e o pão. Sim, o pão. Não que fosse algo de especial, mas o molho das gambas era.
Acompanhamos com uns finos e diga-se que foi um jantar bem passado. Vamos querer repetir. Para terminar a noite fomos até praça da erva. Procuramos uns bares e havia oferta. Optamos por um mais simples e simpático. Mesas e cadeiras no exterior mas ficamos cá fora. Fomos beber uns mojitos e ficamos cá fora na conversa. A noite estava ventosa, mas os aquecedores e a bebida aqueceram. A conversa ajudou mas o sono já apertava e ainda tínhamos que pegar no carro.
Viana é simpática e como se diz por estes lados… “ quem gosta vem, quem ama fica”. Nós não ficamos mas amamos.

You May Also Like

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *