Adoramos fugir não é segredo. O motivo que nos levou a criar o fugir e partilhar as nossas fotos e experiências foi o de encontrarmos locais que nos tocam de maneira de especial. Temos a nossa visão das coisas e julgamos que gostam da maneira como vemos as coisas (desculpem se estamos a ser vaidosos). Fazemos desta maneira, para que tenham motivos para sair de casa. O Chão do Rio é um dos melhores exemplos do que nos fez fugir. A história até chegarmos não tem muito para dizer. É perto de Seia a meio caminho depois de Nelas. A entrada é por um caminho em terra muito bem tratado. Tínhamos visto pelo site e o que nos tinha chamado à atenção era o ambiente natural tão bem conjugado. A nossa primeira aparição, mesmo que noturna, foi a casa em formato cabana. A D. Emília estava à nossa espera e com um sorriso bem acolhedor. Deixou-nos à vontade e mostrou-nos a nossa casinha. Por fora é uma cabana, mas por dentro é uma casa do mais bonito e confortável que se pode pedir. A lareira estava acesa e o cenário perfeito estava montado. O andar de baixo era uma cozinha e sala modernas com um beliche meio escondido para as famílias maiores. O andar de cima era o nosso quarto e só tivemos noção do quão era bonito quando acordamos. A primeira noite, não foi para grandes aventuras mas deu para descansar.

A claridade da manhã acordou-nos por entre as frinchas da janela do nosso quarto. Era cedo e fomos abrindo os olhos lentamente. A cama convidava à preguiça… estávamos num pequeno paraíso e não sabíamos bem o que fazer. A luz que iluminou o nosso quarto não dá para qualificar. Vejam as fotos. A decoração finalmente dava de si e fotografamos sem parar. Colocamos o rádio do quarto a tocar baixo e assim ficamos muito tempo. Abrimos a janela e espreitamos… uma piscina em formato de lago. Nenúfares e outras plantas à volta. Se as fotos dizem uma coisa este lugar diz ainda mais. É mágico. A luz, o cheiro e o som que nos rodeia. Quem aprecia a Natureza, aqui vai amar, está no meio e com muito conforto.

Paraíso para quem quer simplesmente relaxar. Nós descemos do quarto, ainda que nos tenha custado. Abrimos a porta e deixamos mais luz entrar. Abrimos a cesta onde estava o nosso pequeno almoço. Ainda sem termos provado nada, com os olhos já estávamos a salivar. Pão de Seia. É afamado, ou não estivesse aqui localizado o museu do pão. Parecia muito grande para dois gulosos, não foi assim tanto. Para acompanhar, tínhamos um requeijão de Seia, mel da zona e as usais manteigas e queijo. A lista parece interminável, mas vamos continuar. Ainda do mais convencional, tivemos o leite, chocolate em pó, queijo e compota. Estávamos bem é verdade, mas ainda tínhamos o bolo negro de Loriga que tinha muito aspeto. Pois… não conseguimos deixar de provar e acompanhamos com o café. Bem… já chega de falar de comida….

You May Also Like

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *