Após uma semana cansativa de trabalho, quem não gosta de ficar a dormir até tarde no fim de semana?
Foi o que nos aconteceu. Acordamos tão tarde que já era tarde para fazer almoço, pequeno-almoço ou o que quer que seja. O cansaço tinha-nos atingido e ficamos no mel até bem tarde. É tão bom não é?
Depois de um banho que nos ajudou a sair da cama bateu um sentimento que não tínhamos feito nada o dia todo. Pegamos no carro e fomos dar um passeio. O destino foi Amarante.
Rápido de chegar e uma cidade ainda com muita identidade. Longe de centros comerciais, a cidade é fiel a ela própria. Rio Tâmega ainda natural e muita vida à volta dele. A ponte que junta ambas as margens e que nos leva até à igreja é bonita. O centro desenvolve-se a partir daí. Uma mistura de lojas antigas com outras mais modernas vão adornando a rua de uma forma muito natural. As antigas, bem originais e as mais modernas dentro das tendências, mas bem enquadradas com a zona. O rio é companheiro e todos aproveitam as vistas e pequenas vielas que nos levam até ele. Passeamos também até ao rio.
Dá para perceber que as pessoas adoram a cidade e que tiram partido dela. Um parque urbano muito verde está bem ocupado. Pessoas a correr, outras a fazer btt e outras simplesmente a passear.  Depois de tanto passeio e sem nada comer, o apetite apertou.

As torradas são qualquer coisa…

Fomos ao “desconhecido” Bar do Girassol. Está nas instalações da casa da juventude de Amarante. É um local muito conhecido pelo intercâmbio de jovens de vários países da Europa. É também conhecido pelos seus menus vegetarianos, mas ainda mais pelos seus lanches. Já não íamos almoçar, mas já estava na hora do lanche. Vimos noutras mesas e ficamos com água na boca.
Pelos vistos é famoso e nós não sabíamos. Sentamo-nos e não resistimos. Se soubesse tão bem quanto pareciam íamos ficar bem consolados. Parecia tudo tão caseiro… Torradas de pão local “estilo saloio” com manteiga e outras de nutella. Um sumo natural e ainda uma meia de leite decorada com muito estilo “cappuccino”. A Espera valeu a pena. Um prato cheio de torradas para cada um. Vinham muito bem servidas mas não sobrou nada. As torradas eram tãaaaaaaaao boas que ninguém merece engordar por tamanha gulosice. Comemos com os olhos e com todos os sentidos. Tínhamos acabado de comer e se houvesse barriga para mais, tínhamos pedido. Aproveitamos a esplanada. A vista para o rio e para o verde que circunda.
Está repleta de jovens que se encontram aqui mesmo. O espirito é super descontraído e estávamos felizes por termos fugido. Fomos ver a “feira de produtos locais” e descobrimos que o bar do girassol era vegetariano e promovia os produtos locais e naturais. Tinha razão para isso e era realmente bom. Tinham sido muitas coisas positivas, mas havia mais uma. O que pagamos, foi uma surpresa positiva. Uma coisa é certa. Vamos voltar. Até já Amarante.