Após a nossa caminhada e visita às ruínas de Marialva, decidimos entrar no casarão principal das casas do coro. Tínhamos de nos despedir deste local tão especial e quase perdido. Não é todos os dias que se encontra um tesouro destes.  Foi neste momento que fomos convidados para assistir a uma pequena apresentação de todo o universo e atividades criadas pelas casas do coro. Uma coisa é ter programas à disposição, outra é criar atividades e conceitos, aproveitando todas as potencialidades da região. Salientar, TODAS as potencialidades. Provavelmente iremos esquecer de alguma, mas as casas não. Os vinhos portugueses e do Douro. A história e para quem gosta de os provar e como são feitos. Visita a caves e vinhas com direito a um picnic a aproveitar o sunset nas vinhas. Há o passeio familiar na carrinha a ouvir o fado. Carrinha recuperada e decorada a rigor, é acompanhada por um fado feito a propósito para acompanhar o evento. Para os mais ousados há também a mesma visita em kart cross e um Passeio de barco no Douro conjugado com passeio de comboio. Há também as amendoeiras em flor que são mesmo ao lado e os passeios de bicicleta (elétrica) que são um sucesso. Como não experimentamos, não podemos dar grandes detalhes, mas pelas fotos e programa ficamos mesmo com água na boca e que na próxima oportunidade vamos experimentar algumas destas sugestões. Na verdade, há tanta sugestão que pode ser difícil qual delas escolher. Podemos ficar nas casas que vamos ficar muito bem. Nós viemos no Inverno e não conseguimos aproveitar algumas das ideias de sonho. Por exemplos as dormidas no exterior. Camas cuidadosamente preparadas na zona da piscina, uma espécie de tenda tipi feita para princesas. Nunca tínhamos visto ninguém que conseguisse proporcionar uma experiência destas. Ficamos impressionados e apaixonados por este lugar. Em jeito de despedida deixamos para o fim uma das coisas que mais gostamos. A comida. A esposa do Sr. Paulo é eximia neste campo e passa o conhecimento para as filhas. Mais do que ensinar presenteia também os hospedes com belos pratos. Fomos para pratos mais convencionais, como arroz de pato e o bacalhau, mas quando executados com tanta sabedoria nota-se e sobretudo repete-se. A quem tiver a oportunidade, que não deixe de experimentar os menus tão bem elaborados. As nossas histórias por norma falam de aventuras. Desta vez não houve uma grande aventura, mas um local que nos preencheu o olhar e que nos mostrou que tudo é possível, basta viajarmos e termos a vontade que as coisas acontecem. Nós vimos isso e temos a certeza que quem cá vem sabe que aqui é um local onde tudo de bom é possível.