Somos sempre uns fugitivos e nada nos dá mais prazer que isso. Fugimos de sítios banais e se possível dos locais demasiado conhecidos.

Desta vez fugimos até à zona de Arganil! Mais propriamente para São Martinho da Cortiça – Vumba Guesthouses.
Temos que confessar que na altura que fomos o cenário não era o melhor…infelizmente devido a altura de incêndios que se fez passar. O ar era carregado e a cor laranja no céu era a que mais se fazia notar…
Quando chegamos a São Martinho depois das direções dadas, conseguimos avistar a Joana, que nos acenava do cimo do muro. Logo percebemos que o local iria ser ali! A Joana recebeu-nos com enorme simpatia e nos deu logo a conhecer o espaço em volta.
À medida que a Joana nos ia contando um pouco da história da casa e da família , sentíamos mesmo que estávamos mesmo a passear por África. Os detalhes decorativos remetiam-nos muito para o calor Africano.
Começamos por ver o pátio, que estava carinhosamente decorado com espanta espíritos, que com o soprar do vento, nos davam um som ambiente calmo e harmonioso. Assim como a vista para São Martinho da Cortiça. Entramos mesmo ali ao lado na sala. E a nossa imagem na cabeça foi “wow” que bonito.
Se anteriormente já algo nos remetia para o tal sangue africano ali, dentro ainda foi mais.
A sala e a cozinha era super ampla e bem decorada.
Na sala tinha uma zona mais de lazer, sofás e uns cadeirões antigos vermelhos, que só de olhar para eles algo nos remetia a que iria ser super confortável sentar e divagar neles… E ao olhar em redor deles tinha imensas esculturas e livros de viagens… logo ai nos despertou ainda mais o desejo de fugir!
Ao olhar para o fundo, a cozinha de banca alta e ampla chamava à atenção. Tinha tudo o que era preciso para fazer as mais deliciosas refeições.
Já para não falar do armário de louça que parecia mágico com todas as peças que tinha la dentro. A Joana mencionava-nos ao mesmo tempo que teríamos o nosso pequeno almoço ali de manhã ao acordar, e que nos deixaria também uma romã, para acompanhar o delicioso iogurte Biológico da Vumba. Sim, porque a Vumba é mais que uma guesthouse. Na Vumba são produtores biológicos de iogurte e queijos, que são… uma delicia!
Continuando a nossa descoberta dos recantos da Vumbra, encontramos a sala mesmo ao lado com uma estante carregada de tesouros que até nos emocionou. Muitos chamam velharias, nós chamamos obras de arte do passado! Uma máquina de escrever, garrafas de leite Vigor, jogos, cestos… sem dúvida tesouros bem guardados.
À saída mais alguns detalhes que nos remetem para África, um esqueleto de um crocodilo, assim como um antílope, o que despertou a nossa curiosidade!
De seguida a Joana fez o prazer de nos apresentar o nosso quarto, que era mesmo ali ao lado. Só tivemos de abrir uma portada de madeira , de cor verde forte vermos o nosso ninho do amor!
O quarto de cor amarela “quentinha” aconchegou-nos, assim como a tapeçaria que tinha na parede, percebemos logo que iríamos ficar muito bem instalados. A Joana notou apenas que iríamos ouvir os galos ao acordar, mas isso para nós nunca foi um problema mas sim um prazer! Acordar assim
Uma das coisas que mais achamos piada foi a casa de banho, muito bonita, mas com uma característica muito especial! A banheira era uma pipa antiga de vinho! Íamos ter de experimentar!
A Joana deixou-nos à vontade e que no dia seguinte estávamos convidados a fazer um passeio pelo resto da quinta e mostrar-nos também a queijaria. Mal podíamos esperar…

You May Also Like

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *