Acordamos de manhã, com os galos. Literalmente. Tínhamos um galinheiro bem perto e com os primeiros raios de luz, acordamos nós e os nossos amigos de crista. Sim é bom acordar assim pela fresca, prontos para aproveitar todo o dia e para mais fotos. A manhã até estava fresca, o que era bom para contrastar com o calor que se fazia sentir durante toda a semana.

Arranjamo-nos e bem quentinhos fomos tomar o nosso pequeno almoço. Temos de confessar que estávamos mortinhos por comer a romã, que a Joana tinha deixado no dia anterior! Descascamos e misturamos com o iogurte biológico da Vumba! Para além de bonita, esta mistura estava, uma delicia.
Mas o nosso pequeno almoço, também tinha, doces, leite, cereais, pão… Sentados na linda e ampla sala, falávamos do dia que se avizinhava até que a Joana e a Adélia chegaram e tomaram o café connosco. Perguntaram-nos se não tínhamos problemas em ir na carrinha de caixa aberta, tinham um passeio giro para nós. Para nós nunca seria um problema, mas sim uma aventura! E como nós gostamos!

Saltámos para a carrinha juntamente com a Joana, e com a sempre simpática Adélia a conduzir. Durante a viagem, a Joana aproveitou para contar-nos um pouco sobre a historia da quinta.Uma história é incrivelmente bela e cheia de amor. A Joana disse-nos que o sogro teria comprado a quinta em São Martinho da Cortiça e que se teria apaixonado, pela sua mulher que era de uma localidade ali perto. Ambos adoravam a sua terra mas não se podia tomar a decisão para onde ir. Trabalhou muito e deu trabalho a muita gente da terra. Foi também para África e somando sucessos, sempre com o objetivo de manter a quinta e ir comprando terras até conseguir ligar a quinta à aldeia da sua mulher. Daí vermos tanta ligação a África, a importância da quinta para as pessoas da Terra mas principalmente o amor que a família tem a este local. Enquanto a Joana contava a historia e percorríamos na carrinha essas mesmas terras percebemos o porquê de se dedicarem a este sítio e a não quererem deixar que se perca um local tão especial.

Existe já projetado plantar e reflorestar alguns dos terrenos próximos e de apostar ainda mais na queijaria. Quanto aos rebanhos, estavam assegurados, pois notava-se que as ovelhas e as cabras estavam felizes onde estavam. Que apesar de não haver tanta erva como em anos anteriores (devido à seca que se fez sentir este ano). O destino do nosso passeio era a queijaria da Vumba! Uma Casinha pequena ali no meio dos pastos mas com tudo que era necessário para a produção dos queijos e iogurtes da Vumba. Fomos ver como são feitos e a forma tradicional e simples de produção biológica e como é cada vez mais apreciado. Não é uma produção massiva, mas é isso também que o torna tão especial.

WEBSITE: http://www.vumba.pt