Por vezes precisamos de mudar de ares e andávamos a sonhar com o Alentejo. Nós que adoramos passear ainda não conhecíamos e tínhamos muita curiosidade.
Ficamos com um tempinho extra e lá fomos nós. Não arranjamos desculpa. A viagem para quem parte do Porto, é um bocado longa. Mas quando a companhia é boa, faz-se como se costuma dizer “num tirinho”.

Quando chegamos a Grândola já tinha anoitecido noite e por isso estávamos desejosos por chegar ao nosso destino. O Sobreiras Country Hotel. Era altura do Black-Friday em que toda a gente vai para os shoppings e nós fomos para o Alentejo, longe de confusões! Achamos que é dinheiro mais bem gasto. Quando chegamos ao Sobreiras hotel, foi incrível. Por estarmos mais isolados, no meio da noite e escuro, a luz da Lua e estrelas criava uma expectativa grande. Íamos devagar e fomos surpreendidos por javalis. A mãe estava prestes a atravessar a estrada. Parou, olhou para nós e deu sinal para os pequenos javalis atravessarem. Em fila atrás da mãe, organizados e como deve ser. Fechou a fila com o macho olharam para nós e seguiram viagem. O à vontade que mostraram demonstra que estão habituados à nossa presença. Nós que estamos num meio urbano é raro conseguirmos ter experiencias destas.

Poucos metros à frente, vimos o caminho em terra batida que dava acesso ao Sobreiras. Uma cor branca que quase parecia um oásis.
A nossa receção foi muito simpática e logo nos indicaram tudo aquilo que precisávamos de saber.Como tínhamos chegado já à hora de jantar, perguntamos qual seria a melhor sugestão. Algumas sugestões na zona ou então jantar no hotel. O problema é que não tínhamos marcado mesa. Ainda assim havia lugar para nós e espreitamos para dentro e já nem pensamos 2 vezes.Sentamo-nos e à medida que vamos colocando a nossa conversa em dia, conseguíamos ver através de uma janela incrivelmente bonita, a cozinha. Víamos a cozinhar e como tudo era preparado. Foi neste jantar que tivemos o primeiro contacto com os sabores alentejanos! Do mais calmo e relaxante que possam imaginar.

No fim já nos sentíamos em casa, foi todos os recantos eram acolhedores, o que nos deixava muito à vontade.Como já era tarde, resolvemos ir conhecer o nosso “ninho do amor”.Achamos lindo e minimal  e muito especial! O chão era feito de cortiça, o que combinava muito bem com todo o seu design e com o sobreiro que é tão famoso na zona. Estávamos rendidos e queríamos agora adormecer para no dia seguinte aproveitar muito o dia.Gostamos de chegar de noite e acordar num sitio diferente, foi o que aconteceu! Estávamos no Alentejo! A paisagem era linda e mal nos dirigimos à janela vimos coelhinhos a saltar à volta da herdade..

Vestimo-nos e fomos descobrir o nosso pequeno-almoço recheado de coisas boas! Cereais, pão, doces regionais, leite, e o cheirinho a café.
Da nossa mesa, via-se a piscina! Que linda era! Uma espécie de infinity pool como senão tivesse margem. Um vidro para não tapar a fantástica paisagem. A arquitetura no Sobreiras é cuidada ao pormenor. O hotel funde-se por completo na natureza ambiente e esta a prioridade.
Os tons, as formas, a luz… tudo isto nos chamou a atenção. E sim estávamos a sentir-nos uns sortudos. Já estávamos a passear cá fora e a baloiçar nas camas de rede.
Baloiçava-mos e nem dávamos tempo do tempo a passar….eramos só nos dois e encantados no nosso mundo.
Aqui o silencio é rei…e ele sim dá-nos a paz que tanto precisamos. Alguns podem achar paz a mais, mas a verdade é que ela é tão precisa.

Passar tempo neste local é muito bom e podemos usufruir. Também quisemos explorar Grândola e a zona tínhamos de por os pés ao caminho. Neste caso, rodas ao caminho.
Fomos um dia de bicicleta e outro de carro. Como amantes, da bicicleta ela veio connosco.