Fugir para fora cá dentro. Foi um pouco que quisemos fazer. Este destino a nós diz-nos muito, ou não fossemos nós daqui perto e principalmente por ser tão bonito. O Porto tem mudado tanto nos últimos tempos que por vezes deixamos de conhecer muito na “nossa cidade”.

Fugimos para perto e com a vontade de conhecer um pouco mais. Desta vez escolhemos um local que já tínhamos visto anteriormente e sempre nos despertou curiosidade de conhecer por dentro. O Mercador guesthouse . Foi desta vez e decidimos não adiar mais.

Fomos muito bem-recebidos e encaminhados para a sala de estar. Traços românticos e calmos que convidam a tomar um chá ou café, para nos aquecer do dia frio que se fazia sentir lá fora. Ao contrário do que fazemos de começar logo a explorar, ainda nos mantivemos por algum tempo ao embalados pela musica ambiente. Apesar do frio, passado pouco tempo fomos explorar o jardim exterior. Com muito espaço e com traços algo exóticos, ou não tivesse uma palmeira centenária que chama a atenção de todos.

Uma espécie de tesouro no centro do Porto e que muitos, como nós têm a curiosidade de conhecer.

Se no Inverno não é tão utilizado, já no Verão é possivelmente o ex-libris. Imaginem tomar o pequeno almoço neste jardim. Nós também só imaginamos, apanhamos chuva e infelizmente “só” conseguimos aproveitar o bom pequeno almoço no interior.Voltamos ao interior para saber onde iriamos ficar. Estávamos curiosos por ver mais.

Se a casa era tão bonita por fora, como seria por dentro? Uma claraboia iluminava a escadaria que nos levava andar a andar até ano nosso quarto. Nas paredes belas esculturas de estuque. Cada uma delas, numerada. Em conjunto eram quase uma bonita galeria. Em cada uma das portas, o nome do quarto alusivo aos possíveis locais por onde terá passado o mercador. Azagão, Macau, Cabo e Porto Seguro. Uma preocupação em manter o local original e tentar ao máximo preservar e restaurar. Este local transportou-nos no tempo. Mas foi o quarto que nós realmente adoramos. As cores eram conquistaram-nos. Simples e com gosto e ainda tinham uns mimos à nossa espera. Uns cálices de porto e uns sombrinhas dos chocolates Regina. Foi o ninho que nos acolheu. Espreitamos a vista para as traseiras dos edifícios para nos localizarmos. Se o quarto é muito bonito, acabamos por ficar muito mais tempo nele.

Sobre o Porto

Numa cidade como o Porto, poderíamos ter passado o dia todo a passear. Quando nos sentimos bem num, sitio, não mudamos. Na verdade, na rua ou nas redondezas, não faltam boas opções para se jantar e fazer. Há de tudo. Se procurarem os melhores hambúrgueres artesanais da cidade, têm o Bugo e talvez a Real hamburgueria. Two:sushi que pelo nome não é difícil adivinhar o que é. Rota do Chá para passar a tarde e o Aduela para acabar a tarde e iniciar a noite. Picar e beber. Senão for suficiente ainda têm o famoso Bonaparte em plena baixa para acabar a noite. Para que procura um bom local para passar o tempo e petiscar enquanto podemos ouvir musica ao vivo ou ver uma exposição devem visitar oPorto district na Batalha. Local que se está a converter lentamente num local obrigatório para quem quer se quer sentir próximo da alma portuense. Se no Porto não raízes para ficar, no mercador não faltam motivos para voltar.

WEBSITE: http://www.mercador.com.pt/