Fugir. Começou sempre por sair da nossa casa e conhecer novos locais. Estamos num país pequeno, mas ao mesmo tempo, tão bonito e tão diferente. Não nos cansamos. E precisamos disto. Ir a novos locais. Mais do que tudo, fugir da rotina e realmente fazer coisas novas e diferentes. Desta vez, fomos a uma zona que não nos é totalmente estranha, mas um sitio lindo, totalmente novo para nós. A Casa da Palmeira. É uma quinta pedagógica que convida todos a permanecer em comunhão com a Natureza. Quando dizemos, todos, é mesmo. Nós chegamos já bem tarde e a Joana, estava para nos receber. Estacionamos e fomos pela quinta até à nossa casa. Era escuro e sabíamos que estávamos no meio da quinta. Ouvíamos alguns animais mas íamos deixar para amanhã a nossa exploração. O gatinho Mika e o cão Nero vieram dar as boas-vindas. Parecia que já nos conheciam há muito tempo. Ficamos encantados e já os queríamos levar connosco embora. Fomos dormir com a expetativa do bonito amanhecer. Dormimos até bem tarde. Andávamos cansados, mas principalmente porque era tudo tão calmo e silencioso que o nosso sistema nem despertou. Que bela maneira de acordar! Começamos a abrir os estores e uma luz muito boa começava a entrar. A casa dos aromas ficou com uma vista incrível. Eramos rodeados por Natureza. Começamos a ouvir galos, galinhas, rolas e cabritas. Ficamos radiantes! Fomos espreitar o que não tínhamos visto. A quinta é um paraíso para quem gosta de animais e nós achamos que é o melhor do mundo. Nota-se o amor aqui e por muito que queiramos exprimir o que sentimos aqui, não será fácil. Após conhecerem este local, por certo irão querer cá voltar ou trazer pessoas que sejam queridas. Sentimos que as pessoas aqui se tornam pessoas melhores. O amor incondicional em cada um dos “bixos”. Queríamos levar cada um deles. Notava-se que todos estavam felizes por nos ver. Todos pediam festinhas, todos nos davam o bom dia. Dá vontade de deixar toda a nossa vida e nos dedicar por completo a isto. Foi o que fez a Joana e está de parabéns. Se estiverem indecisos onde passar um fim de semana com crianças, não precisam de procurar mais. Esqueçam as consolas, telemóveis ou televisão. Aqui vão estar entretidas e felizes. Com a ajuda da Joana e não só, vão conhecer todos o animais, dar de comer, cuidar da horta, relaxar nas camas de rede ou fazer piqueniques. Vão ouvir os galos a cantar, e fazer festas aos gatinhos. Vão ver ao vivo, galos “peludos” gigantes, galinhas marotas, porco preto mimalho, porquinhos da india curiosos noturnos, patos simpáticos, cão brincalhão e até as cabras saltitonas. São alimentados com o que a Natureza dá. Flores lindas não faltam e árvores também não. Se tiver duvidas qual será, têm um pendurado a identificar. Têm um campo relvado com balizas e um bosque encantado para relaxar e bonitas fotos. Apanhamos bom tempo e aproveitamos a piscina natural. Sem químicos e filtrada pela Natureza. Para além de bonita, agradecemos a preocupação ambiental. Na bonita receção podem ver as excelentes pontuações do tripadvisor mas mais do que isso, produtos próprios, outros regionais e alguns objetos decorativos que remetem para um pouco da história deste local. Ao lado, sem procurar muito, a biblioteca. Retirada de um filme, ou talvez não, com orgulho são expostos também memórias “vintage” da família. Um gosto para o olhar. Um Citroen 2CV clássico faz parte da imagem e que bem fica. Dentro disto tudo íamos esquecendo de falar de algo que nos perguntam muito? Que tal a casa, que tal o pequeno almoço? É mais do que um turismo rural. Vale pela experiencia e foi isso que AMAMOS. O quarto é espaçoso, confortável e bonito. Cama que e sabão “só” que adoramos. A nossa casa estava completamente adaptada para pessoas com mobilidade reduzida e ainda tivemos direito a pequeno almoço. O pão e croissant fica pendurados na receção, fresquinhos pela manhã. Em casa preparamos e na mesa exterior comemos. Sumo natural, compotas e cereais. Não sabemos o poderíamos pedir mais, mas certo é que o nosso fim de semana foi em cheio e daqui não queríamos sair.