Atendidos com bastante descontração e simpatia. Não fomos apenas mais uns hóspedes. Sentimo-nos em casa. É um hostel com inspiração de hotel e com um tratamento bastante pessoal. Tem tudo o que gostamos, principalmente o bom gosto. Quarto bonito com vista para o rio Tâmega e parque de lazer. Podemos dizer que aqui podemos ter qualidade de vida. Vive-se de forma calma, existe movimento e sítios incríveis para espairecer. Se ainda incluirmos a beleza da cidade e a serra do Marão, podemos dizer que estamos num dos melhores locais de Portugal.

Há jovens por todo o lado e atividades diferentes. Cafés, bares e restaurantes sempre ativos, mesmo em época baixa. Comida tradicional, ou até alternativa. A nossa história, não foi muito diferente de outras, mas fugir está-nos no sangue. Sair da rotina é obrigatório. Acordar num sítio assim é como um medicamento que nos cura da azáfama do dia-dia. Pássaros, água a correr, cheiro da natureza, lenha, de tudo um pouco.

O nosso quarto não era muito grande mas era muito confortável. A decoração muito bem conseguida, com um estilo vintage mas adaptado aos dias de hoje. A casa de banho era digna de sessão fotográfica e o quarto cheio de luz. Capaz de agradar a toda gente. Damos muito valor a começar bem o dia e o pequeno almoço é importante. Descemos até ao primeiro piso onde encontramos a cozinha comunitária. Aqui são servidos os pequenos-almoços com produtos locais e sempre com a preocupação de ter bastante variedade. Tem também 2 fornos antigos que estão restaurados. o pão de montanha é uma das especialidades quando torrado. Queijos locais e bolos caseiros. Marmeladas, sumos, e fruta já preparada a comer. A luz de manhã é incrível e realmente ajuda-nos a entrar no espírito correto. Tinha um gira-discos com e alguns vinis. Não resistimos a ligar com Amy Winehouse e com Rui Veloso.

Durante o dia há muito o que fazer. Caminhadas no parque do outro lado do rio, passeio de bicicleta pela bonita e tranquila ecopista do Tâmega. Com pouco desnível que vai em direção a ao Arco de Baúlhe. Existem ainda alguns locais não muito distantes para uns banhos no rio em pleno Verão. O Marão está mesmo ao lado e atividade física nesta serra, é exigente mas do mais bonito que se pode encontrar no nosso país.
Se não for do vosso interesse ainda têm a especial igreja de S. Gonçalo que fica ao lado da ponte.

Local obrigatório de visitar, Museu António Souza Cardozo.
Rezam as histórias que na exposição em Nova York vendeu mais quadros que Picasso. Há quem diga que senão tivesse falecido tão jovem teria sido uma referência mundial. Visitamos o museu e conseguimos apreciar o talento. Vários estilos dominados na perfeição. Para quem não conhecia ( é verdade ) fica impressionado.
No museu podemos admirar outras obras que não deste artistas, contudo foi o que mais nos impressionou. Um ponto que gostávamos de salientar foi o valor de 1euro para entrada. Para a qualidade do museu, até pode indiciar que se trata de um museu não tão bom, o que não é o caso.

WEBSITE: https://www.hosteldesarts.com