O Alentejo está a tornar-se um dos nossos locais de eleição. Principalmente na Primavera. Se é conhecida pela sua calma, ainda não está tão famosa pelas suas cores. As cores e cheiros são incríveis. Por isso não foi difícil escolher o nosso destino. Chegamos já de noite e não conseguimos ver o exterior. Fomos recebidos pelo Sr. Francisco. Paciente aguardou e falou-nos um pouco da casa e do que rodeava.

A Casa da Vigia. Só ao acordar de manhã é que conseguimos apreciar o local fantástico que estávamos. Uma casa e quinta só para nós. Conseguem imaginar a privacidade? À volta só Natureza. Uma pequena piscina que era rodeada por um jardim relvado com flores. De vários tipos e cores.
Mal viemos cá fora chegava o José com 2 bikes de aluguer para explorarmos os trilhos à volta. Esta é uma região que tem tradição na organização de eventos desportivos utilizando todos estes trilhos. Desde o BTT, passando pelo trail e Orientação, terminando nos ralis e bajas. O José também faz caminhadas e o birdwatching é uma das especialidades. O nome Aquila Nidum não é fácil de fixar mas também não é preciso, pois o José é fácil de contactar. Durante a nossa estadia fizemos um passeio de bicicleta até à Quinta do Barrieiro por sugestão. A casa tinha várias cartas militares da zona, que ajudou a orientar para o caminho que iriamos fazer. Na verdade, o caminho foi simples e nem foi preciso usar. O passeio não é exigente. Não é preciso ciclovia. As estradas estão quase desertas e sempre em harmonia com a Natureza. Apenas 200 metros junto à quinta são exigentes. Para quem não se quiser esforçar muito, pode fazer essa pequena subida com a bicicleta à mão. O percurso vale bem a pena. Se tiverem curiosidade, partilhamos o link para usarem no GPS ou no vosso smartphone.

Quando chegamos olhamos para a piscina, era a conclusão perfeita para o passeio. Ainda não estava muito calor para que fosse irrecusável a ideia. Aproveitamos e tomamos um duche bem calmo antes de nos fazermos à estrada para provarmos um pouco da gastronomia alentejana.
Nós decidimos ir ao “mil homens”. Um dos mais conhecidos na região. Pouco mais de 10min pela estrada nacional em direção ao Marvão, junto à Portagem. Convém reservar mesa, nos fomos cedo e tivemos de esperar por mesa. Não esperem almoçar com pressa. Aqui aprecia-se a mesa e convém ir com tempo. Até porque das sopas à sobremesa, dá vontade de provar tudo. Queijo fresco com sementes, o típico pão alentejano, sopa de tomate, açorda… só para começar. Cada um escolheu um prato diferente. Frango dourado e carne de veado, ambos excelentes. Difícil foi arranjar barriga para sobremesa. A famosa sericaia. Uma das melhores de sempre.

Passamos tanto tempo à mesa que uma parte da tarde já tinha passado. Como tínhamos vindo principalmente para relaxar, a casa da vigia era o local perfeito. Não falta local para aproveitar. E foi o que fizemos até ao por do Sol. Acreditem, neste lugar é incrível). O Alentejo é bonito, e a casa tira partido disso mesmo. Tem uma luz muito própria e é mesmo única, dentro ou fora, sentimos. Temos sempre um local para apreciarmos a luz e descontrair. Foi o que fizemos. O jardim convida a fazê-lo em pleno. Durante a nossa estadia não cozinhamos. A verdade é que tínhamos tanta variedade à disposição na gastronomia local que preferimos explorar isto até porque não temos oportunidade perto da nossa casa.

WEBSITE: Casa da Vigia