Quem nos segue, sabe que não fugimos por fugir. Não procuramos muitos, mas quem se identifique connosco. Não é sobre os números, mas sobre a verdadeira beleza. Nós fugimos da confusão e dos sítios óbvios. Enganem-se que ao dizermos que desta vez fomos para o Algarve estaríamos a ir para um sítio óbvio. O Algarve é muito mais que praias e hóteis. Bem mais do que Verão e sem alma. Foi precisamente o que nos atraiu no Farm House of the Palms. São Brás de Alportel possivelmente não é o primeiro nome que vem à cabeça quando se fala desta região e foi precisamente isso que nos atraiu. Longe da confusão e dos lugares tão batidos, mas perto o suficiente para chegarmos facilmente a qualquer lado. É difícil descrever com palavras o quanto gostamos deste lugar e das pessoas nos acolheram. Sim, não são portuguesas, mas mais em alguns aspetos bem mais portugueses que a maioria. Alguém de fora quando escolhe o nosso “cantinho à beira mar plantado” motiva sempre a nossa curiosidade. O Frank e a Véronique são um exemplo para nós e por isso tivemos de os mencionar aqui. Deixaram os seus empregos e vida normal vieram para Portugal. Procuraram e visitaram mais de 100 locais até encontrarem este pequeno paraíso. Recuperaram (não inventarem nem estragaram o que já existia) de maneira a que se enquadrasse perfeitamente no estilo Algarvio e estudaram detalhadamente o que queriam para cada divisão. Desenho e estilo minimal para que os espaços possam respirar e aproveitar toda a luz natural.

Sentimo-nos muito bem em cada um dos espaços como se estivéssemos no exterior. Espreitamos alguns dos quartos pois estávamos apaixonados com a casa e com a decoração. Tudo da cabeça deles e sem grandes ajudas exteriores. Até o local do pequeno almoço foi escolhido a dedo. Fora na entrada, por baixo de uma grande árvore e com vista para a piscina. Sombra pela manhã e bem próximo da cozinha. Provavelmente já nos estamos a adiantar e ir logo para o pequeno-almoço, mas é algo que nos marca. O Frank confidenciou-nos que todos os pequenos-almoços são diferentes. Aproveitar as frutas e para não banalizar este pequeno almoço. Todos os dias experimentamos coisas novas. Iogurte, papas de aveia, queijos, sumos, compostas caseiras e outros produtos locais. Havia cereais e mini pastéis de nata que eram o ponto comum, mas de resto tudo fresco e acabado de preparar com a maior das delicadezas. O Frank e a Véronique eram sempre muito simpáticos e cuidadosos a saber se estava tudo bem com todos os hospedes. Um cuidado especial sempre para manter a privacidade de todos. Até na área circundante da piscina havia um pequeno retiro para alguns momentos relaxantes. A piscina em tons escuros conjuga bem melhor com a casa e a envolvência. Adoramos e passamos muito tempo em casa graças a esta piscina.

A casa é incrível. Revistas não ficam indiferentes e até já foram premiados. Ficamos hospedados no quarto superior. Vista superior para a piscina e ainda com direito a um rooftop privado com cama e rede. Digna de um filme de príncipes das arábias. Local espetacular para um pôr do sol. Confessamos que foi o que fizemos.  O nosso quarto foi dos mais bonitos onde já estivemos e com destaque para a casa de banho. Sem mobiliário, mas tudo tão agradável. A harmonia é a palavra de ordem e foi assim que nos sentimos. Em Harmonia. Falamos desta nossa fugida com um carinho muito grande pois sentimos que é um pequeno paraíso que encontramos. No Inverno está fechado para manutenção, para que seja sempre visto como o paraíso que o é. Marquem a vossa reserva com muito tempo de antecedência, pois não fomos os únicos a encontrar este paraíso e o ano fica preenchido muito rapidamente.

Curiosos com o que fazer, para além de estar nesta casa incrível a relaxar. Sim é possível e não precisamos de ir para as praias (que não são longe). S. Brás de Alportel era conhecido como um dos maiores centros corticeiros do país. Podem fazer o tour da Cork Factory que demora cerca de 1h30. Os horários são muito curtos, por isso o ideal é programarem a ida, que vale a pena. Às 10h, 11h30, às. 14h e às 15h30. Estamos em plena serra Algarvia e temos algumas rotas bem bonitas para fazer. Existem grupos organizados a fazê-lo durante o fim de semana, mas em autonomia também o podem fazer sempre que quiserem. Nós fomos fazer uma rota de bicicleta de estrada. Está a tornar-se um ponto de destino para quem adora andar de bicicleta. Pouco trânsito, boas estradas e paisagem muito bonita. A rota da estrada N2 é uma das que podem fazer. A norte de S.Brás não é muito movimentada pelo menos até sair da Serra. Apesar de serra, não é inclinada o que é bom. BTT é um dos melhores lugares para explorar no Algarve, à quantidade de trilhos marcados. É fácil cruzar com outros ciclistas. Na nossa rota descobrimos u ma espécie de centro de BTT com bar e parque de merendas de Fonte Férrea. Podem até aproveitar para refrescar no riacho que aí passa.

A nossa rota de bicicleta ( estrada ):

https://www.gpsies.com/map.do?fileId=popstcpkbxldgkyn

Em termos de gastronomia, S. Brás não foi onde mais gostamos e fomos um pouco mais longe. Ao mercado e ao centro de Loulé. O centro histórico é digno de visita e para nós um dos mais bonitos do Algarve. A verdade é que nos sentimos tao aconchegados que não saímos tanto como costumamos. Se não tivéssemos que voltar, teríamos ficado para o jantar especial no exterior com fado ao vivo. Conhecendo a casa seria uma experiência sem valor. Fomos embora tristes por a nossa fugida ter terminado, mas completamente revigorados para o que resta de aventuras.

Website: https://www.farmhouseofthepalms.pt